Depois de 1 ano…

Padrão

Hoje faz 1 ano que embarquei para a viagem de férias mais pensada que já fiz. Pensada, mas não necessariamente tão planejada. Confesso que não tive muito tempo para estudar os roteiros e as particularidades das cidades, como costumo fazer. Porém, isso não atrapalhou, colocou uma pitada de magia à aventura. Afinal, quem nunca pensou em cruzar a Europa e tinha em mente imagens dignas de fantasia dessa aventura?
Foram 15 cidades em pouco mais de 30 dias. Enquanto escrevo, sinto falta do desafio de atravessar a rua ao lado da estação Garibaldi, em Nápoles, para chegar ao hotel. Parecia etapa de um jogo de video game: desvia de carros, dribla pedestre no sentido contrário, fica de olho na lambreta que passa pelo corredor e eis a calçada! Sinal de trânsito pra quê? Cara feia de motorista? Nunca! Babaca acelerando o carro em cima de vc? Impensável. No final, todos vivem felizes para sempre com lençóis brancos pendurados nas sacadas dos prédios antigos e “mammas” chamando as crianças da pelada na rua para o jantar. Garçom de anos organizando as mesas coletivas da Pizzeria, estilo coração de mãe, com a bênção de São Genaro e Maradona. Enquanto isso, dormem Pompéia e o Vesúvio a 55 minutos dali.
Em menos tempo, no sentido contrário (eu acho), estamos em Roma. Ah! Roma! Ah! Roma Termini, que me indica todos os caminhos. Sinal de liberdade. Ó cidade que engole meus dias de contemplação sem que eu perceba. Único sinal de que o tempo está passando é a exigência do corpo por comida. Atender isso é simples e que se dane o tempo. 1:30 da manhã interrompo minhas andanças em pleno Coliseu, já de olho grande no que vou fazer no dia seguinte. Preciso ir dormir, né? Fazer o que? Florença, Bologna, Verona, Pisa, Veneza, Munique, Região da Bavária, Paris, Giverny, Versalhes, Região da Normandia. Tudo está por vir!
Aulas de Arte, Culinária, simpatia, galanteios. Cidades de contos de Andersen, castelos, música clássica. Festa da cerveja, pontualidade, organização, tecnologia, carros, sustentabilidade, futebol de primeira. Tradição, artigos de luxo, consumo, história, museus, boemia, monumentos fantásticos, pintura, escultura, diversão, balé. Tenho sede e fome de que? Da minha terra, do calor e até das moças dos stands de taxi aos gritos no desembarque do Galeão.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s