Um dia em Veneza…

Padrão

Amanhece lindamente, prometendo um dia quente e de sol. Fui caminhando até o Palazzo Ducale, com o Venice Card passei direto, sem fila. Essa é uma atracão imperdível em Veneza. Espaço bem cuidado e com uma coleção incrível de instrumentos de guerras medievais, desde armaduras de soldados e cavalos, todo tipo de armas, escudos, flâmulas, entre outros itens que me impressionaram muito pelo tamanho e peso de alguns. Os homens deveriam ser bastante fortes para suportar todo o peso das proteções, armas e para o combate. Já que a força para movimentá-las em ataque e defesa, seja no solo ou num cavalo, com certeza era fenomenal.
Os arcos e flexas com pontas metálicas certamente mortais também me fizeram imaginar quanto eram violentas e sangrentas as batalhas. Nenhum filme que eu tenha visto sobre o assunto teve tanto impacto quanto ver essa coleção.
Uma curiosidade bem interessante é a armadura para uma criança de 7 anos, sob um cavalo, numa das galerias.
Continuando a visita, desci para a prisão e passei pela Ponte dos Suspiros, talvez a última visão da cidade de muitos prisioneiros. A prisão é gélida, mesmo com o sol que estava lá fora, por se localizar no nível da água do canal.
Mas o Pallazzo Ducale não se resume apenas a guerra, há salões esplendorosos que mostram a vida cotidiana dos Dodges e suas visitas.
Saindo da espetacular visita, fui a Basílica de São Marcos. Pra quem visitou as igrejas de Roma, Vaticano e Florença, fica meio decepcionado com a falta de restauração. Se a Basílica estivesse com os mosaicos dourados limpos, imagino que seria algo próximo a entrada do céu. Ao contrário disso, a igreja está com aspecto sombrio e triste. Nem passei muito tempo na visita, logo subi para ver os famosos cavalos originais que ficavam na fachada principal. Outro balde de água fria, sujos coitadinhos. Uma cidade tão cara e tão visitada poderia seguir o exemplo de outras que passei. Deve haver alguma explicação para o quadro que descrevo que não tenho conhecimento, mas o que vejo como leiga hoje é o que acabei de descrever.
Saindo do terraço da Basílica, fui para meu passeio de Gôndola. No local marcado conheci 2 australianas, mãe e filha, muito simpáticas e com várias perguntas sobre o Brasil, Rio de Janeiro para ser mais específica. O passeio transcorreu numa conversa animada sobre minha cidade. O gondoleiro até arriscou cantarolar Garota de Ipanema e Aquarela do Brasil, músicas bem executadas pelos grupos que se apresentam na Praça de São Marcos.
Dei adeus aos meus amigos e fui rodar pela cidade. Cheguei até o Mercado de Rialto, comprei uma camisa do Fiorentina para meu amigo numa das lojas da Ponte Rialto (a compra mais cara de toda a viagem Hahaha). O dono da loja havia morado no Rio, conhece tudo. Mas só me deu desconto de €6! Conversamos bastante. Depois fui a um bar para um cerveja e quem estava jogando? O Fiorentina. Pelo menos estava ganhando de 1×0.
Retornei a São Marcos, dei uma olhada nos Jardins e segui em direção ao hotel, mas antes jantei um espaguete dos bons!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s